domingo, 20 de maio de 2012

Como ajudar pessoas ou seres que morreram!

Bom dia, caros leitores do blog. Acredito que esse tema seja infinito, pois existem diversas formas eficazes de beneficiar os seres que morrem. Sempre que puder, estarei postando as coisas mais importantes. Mas tenho certeza de que jamais esgotarei o assunto.
Obviamente a capacidade de beneficar de forma eficaz alguém que morre ou morreu depende enormemente de quem tenta ajudar. Depende diretamente de nossa relização espiritual. Por isso, antes mesmo de querermos ajudar pessoas ou seres que morrem devemos poder nos ajudar. Devemos nós mesmos termos as realizações necessárias para que o efeito seja visível, e deixem sinais claros, para que saibamos que nossa ajuda foi realizada. Do contrário, suas práticas ficam subjetivas. Ficam no espaço da especulação, praticamente sem meios de avaliar a eficácia. Esse texto serve para uma pessoa que você ama em especial, serve para animais de estimação, ou para aqueles que nem mesmo conhecemos, mas tivemos empatia.
O fator mais poderoso e eficaz para beneficar quem morre, é compaixão. Amor. Um amor sincero. Essa é a maior de todas as forças, e a mais eficaz de todas elas. Mesmo sendo clarividente, se você não tiver compaixão, não disporá de ferramenta necessária para acessar o ser que morreu, e se conseguir, não irá beneficiá-lo. Poderá no máximo fazer uma comunicação com ele. Claro, se dessa comunicação vier algum bem, é válido de certa forma. Meu mestre sempre fazia isso. E levei muito tempo para perceber, por mais simples que possa parecer. Sempre que ia dar um retiro, onde ensinaria técnicas para essa função em especial, ele passava 90% do tempo ensinando apenas a sentir compaixão. Como cultivar esse sentimento. Nos últimos instantes, ele dizia:
"ah é...preciso ensinar o ritual, então, faça isso...faça aquilo...e pronto".
A maior parte do tempo tinha sido investido nisso. De repente praticamente não tinha detalhes da técnica em si, pois o ponto essencial não é esse. Com o tempo, percebi que mesmo pessoas realizadas, e algumas sem realização espiritual, mas portadoras de habilidades únicas como clarividência ou audição, etc.. não conseguiam sinais adequados, sinais auspiciosos de que a prática foi bem sucedida, quando faziam algo para uma pessoa falecida. A maturidade me mostrou que faltava compaixão. E tenho observado isso sempre. Não importa quanto você queria ajudar. Não importa se passa horas chamando por um nome, ou Deus. As únicas práticas que tenho visto serem eficazes é possuir realização espiritual e amor, compaixão, aliados a um sucesso nos treinos.
Não é que outras práticas sejam ruins, ou desnecessárias. Apenas são paliativas. Relativas. Conforme, veremos no decorrer do texto, elas são úteis sim, por favor, entenda isso. Do contrário, poderá criar um paradoxo inexistente de fato. Mas, a verdadeira ajuda e a mais eficaz necessita muito mais do que isso. Sempre faça tudo o que puder, colocando-se no lugar do ser que necessita.
Percebi em outros momentos que pessoas nem sempre qualificadas (com realizações em rituais), mas portadoras de uma profunda compaixão pela pessoa que morria, conseguia sinais claros e poderosos de que conseguiu beneficiar a pessoa necessitada, mesmo que em proporções menores. Mesmo que nem sempre a pessoa soubesse desses sinais, e nem mesmo esperasse por eles. Ou soubesse o que fez exatamente dar certo. Isso mostra quão poderoso é esse meio, esse sentimento, chamado compaixão, amor. Hoje em dia, costumo dizer que se você fracassa em qualquer exercício espiritual, provavelmente seu erro número um deve ser falta de amor, de compaixão(além de preguiça). Pergunte-se por que faz esse exercício de verdade? Por que quer se realizar nele? O que fará, quando conseguir executá-lo? Ao buscar respostas para essas perguntas, descobrirá a raiz de sua falta de sucesso. É notável o fracasso de pessoas que se empenham em magia ou em cultos religiosos buscando satisfações pessoais, egoístas, de natureza apenas material, sem benefício para outros seres. A prova é tanta, que precisam ler algo para conhecerem a palavra de Deus, pois seus ouvidos estão surdos para sua voz. Logo, não possuem qualquer outra forma de fazer isso. Se eu posso falar com o autor, por que iria me contentar em apenas ler seus escritos? Até podem encontrar um sinal ou outro. Você até conhece casos de pessoas que obtém algumas coisas, etc. Mas, sempre há limites nisso. E quase sempre as causas não são exatamente o que o praticante pensa ser. Tente inserir, em todos os momentos e oportunidades possíveis, o amor em suas atividades. Quando for treinar visão, por exemplo, dedique alguns minutos, pensando nos seres que morreram. Que sofrem. Com o desespero. Medo. Pânico. Tudo o que podem sentir. Seres que precisam de clarividentes como você, que os aceitam como são, e buscam ajudá-los sem qualquer tipo de interesse egocêntrico. Queira, de verdade, poder fazer algo por eles, mesmo que apenas conversar com eles. Se sentir esse amor profundo brotar em você, sincero, desinteresseiro, uma mágica ocorrerá em sua vida. Com a bênção de seu mestre, e com amor por todo e qualquer ser que possa sofrer, independente de sua situação, os exercícios ficarão mais fáceis. Os sinais virão com certeza absoluta.
O mais importante no momento em que a pessoa está morrendo é não ser pertubada. Em hipótese alguma, pertube essa pessoa. É muito importante isso, pois isso está diretamente relacionado com seu futuro renascimento. Procure deixar o ambiente o mais normal possível. Sem gritaria, sem estresse. Se você possui treinamento adequado por um mestre, e já possui algum tipo de realização, use-os nesse momento. Liberte-a. Faça os ritos e só pare até que os sinais surjam de forma óbvia. Evite tocar a pessoa, principalmente em área ou regiões como pés ou membros. Esse é o momento mais poderoso para isso, portanto, não disperdice-o. Se não possuir nenhum tipo de treinamento nisso, evite atuar nesse momento. Espere a morte se consumar, e então inicie seus ritos. Aqui as habilidades exigidas são para praticantes de médio e mais alto calibre. Pessoas que de alguma forma já conseguiram ir em reinos puros, ou os chamados céus todo dia quando treina, ou pelo menos possui já um convívio com seres dessa natureza, estão aptos a entrarem em ação. Que possuem vínculos com seres que estão nos céus. Pois saberão quando a pessoa lá estiver, tendo todos os sinais de que precisa. Por isso a importância do treinamento pessoal. Um ser comum, sem qualquer tipo de treinamento, ou alguém com muito treinamento e sem sucesso algum neles, nada poderá fazer nessas condições que possa fazer esse ser renascer imediatamente, e com certeza, em reinos superiores. Mesmo religiosos de qualquer natureza. É sempre bom fazer preces, e ritos, mas nesse momento, em que a morte está ocorrendo, só serão eficazes no sentido de acalmarem a pessoa. De gerar um ambiente repleto de crenças que a pessoa tinha, quando viva, tornando o meio adequado para morrer. Porque fora isso, nenhum líder religioso poderá fazer muito, se ele mesmo não tiver essas experiências em sua prórpia vida. De fato, qualquer um que queira ser útil, estará nessas condições.
Se você nunca viu o céu, não poderá guiar alguém até lá. Mesmo que tenha sido muito devoto, tenha fé, etc..a única coisa que pesa nesse momento são experiências. Nada mais.
Não faça isso para impressionar pessoas com seus conhecimentos, nem com rituais. Jamais aja tendo algum fim além de ajudar quem morreu. Isso além de não ajudar em nada, impede que você venha a ter sucesso, e ainda por cima, cria karma destrutivo. Se a pessoa que morre não for tolerante com práticas especiais, não deixe-a saber o que está sendo feito.
Mas e se eu não possuo qualquer tipo de experiência real e autêntica nesse ramo? E mesmo assim quero ajudar? Aí está a ajuda relativa.
Então, mostrarei algumas práticas muito poderosas, que todos podem usar. A primeira delas é gerar mérito, virtude, energias positivas, para a pessoa ou ser. Podemos fazer isso com uma prática já explicada chamada oferenda. Essa é definitivamente uma das práticas mais poderosas. Pegue os bens da pessoa e doe para os necessitados, pobres, sem qualquer tipo de interesse nisso, apenas tendo em mente que a pessoa se beneficie desses méritos, dessa virtude. Para potencializar isso, chame seu mestre, e diante dele, dedique qualquer virtude que tenha obtido com isso, para a pessoa. Que qualquer karma adquirido com isso, vá para a pessoa.
Outra forma muito eficaz é dedicar seus próprios méritos, para a pessoa. Até porque, se você não possuir realizações, não saberá se a pessoa falecida precisa de méritos para ter um renascimento melhor, num reino superior. Mesmo que ela vá renascer humana, é tão difícil conseguir uma boa família, um bom país, um bom corpo dotado de qualidades que permitam a pessoa prosseguir. Enfim, isso é feito da mesma forma. Quando tiver comida, quando sentir um momento feliz por estar na presença de amigos e pessoas amadas, quando sentir felicidade, ofereça esse mérito alcançado para quem precisa dizendo o nome completo que o ser tinha, da mesma forma que antes, diante de seu mestre. Qualquer coisa pode ser oferecida. Sempre há o que se oferecer. Se você tiver compaixão de verdade, seus méritos, virtudes e merecimentos irão para a pessoa. Quando estiver com dor, doente, ou abatido, ofereça sua paz, seus momentos felizes, o resto de saúde que tiver para a pessoa, e tome dela todo karma ruim que poderia gerar a mesma doença que você tem em vidas futuras para ela. Diante de seu mestre:
-"Que ao sentir essa dor, eu receba toda a dor de fulano(dizer o nome completo da pessoa), deixando-a livre de uma dor tão intensa. E, que todo o resto de saúde que eu possa ter, felicidade e paz, sejam dados à ela. Que eu sofra para que ninguém mais possa sofrer disso novamente."
Se tiver amor verdadeiro, isso de fato ocorrerá. Você vai ajudar esse ser a se tornar mais feliz, mesmo que temporariamente. E os méritos que você gerar com isso, irão para ela. Assim, você cria causas, condições, cria karma e leis para que num futuro, ela possa se tornar mais feliz. O que será feito depende de sua maturidade. De sua competência. Reze, faça preces de acordo com sua religião para esse ser. Envie vibrações positivas, e ofereça o karma gerado com isso para ela. Que todo karma bom gerado seja dado à ela. Não importa mesmo o credo ou religião que você professa, essa tem sido minha observação no dia-a-dia. Mas importa que a pessoa tenha vivência, seja espiritualizada. Caso você não seja, peça para alguém, que você conhece que seja assim, fazer isso por você.
Se perceber, esses últimos métodos são eficazes, porém não são de forma plena. Não é absoluto. O ideal é a verdadeira realização espiritual, adquirida com o treino. Porque o que esses meios podem fazer é gerar boas condições, que podem a vir beneficiar a pessoa. Mas e depois? Essa pessoa viverá bem? Não há como você saber, pois um novo ciclo recomeça, e dependerá dela. Não é uma liberdade de fato, entende? Mas, perceba, é uma ajuda. Dar comida, não impede alguém de ter fome amanhã, de fato, o ideal é ajudar a pessoa a ter seu próprio sustento. Contudo, melhor ajudar pouco, do que nada. Ajuda na proporção que você pode. Melhor do que renascer como fantasma, ou no inferno, concorda? Se ela já tiver renascido? Essas práticas poderão ajudá-la mesmo assim. Mesmo que faça anos que issso tenha ocorrido. Ela pode estar doente. Sofrendo. Pode estar tendo obstáculos à sua maturidade e evolução pessoal. E isso que você faz, ajudará ela. Pense assim:
-"Cada prática dessa que eu fizer é como uma quantia de água inserida numa caixa. Quando essa caixa se preenche, algo de bom ocorrerá com a pessoa. Então a caixa esvazia, pois a energia foi usada. "
Então, se não continuar a fazer práticas para ela, não adiantará muito. Por isso, em algumas culturas, há cultos aos ancestrais. Esses cultos visam exatamente isso. Enquanto você faz isso, a caixa estará sempre cheia ou pelo menos com algo dentro, nunca vazia.
Supondo alguém cuja vida tenha sido repleta de maldade, e renasceu no inferno. Apesar dessas práticas não poderem evitar isso(como o treinamento espiritual poderia) quando ela morrer no inferno, após alguns eons lá(o tempo no inferno é diferente do tempo humano), ao morrer no inferno, ela volta a buscar renascimento em outros mundos. E supondo que você tenha visão espiritual e veja isso, talvez acredite que não foi benéfico isso que fez, pois não mensurou o resultado. Isso não é verdade. Quando a pessoa purificar o karma que a fez renascer no inferno, terá outra chance, e ela precisará de todo apoio que tiver e puder para recomeçar. É aí que sua prática entra. Essas energias estarão lá para poder ajudá-la. Que maravilhoso isso é. Quão reconfortante é. Tome cuidado com os sinais que obtém. Por isso só um mestre consumado pode compreender totalmente. Por que? Quando você obtém algum sucesso em exercícios como visão, isso não purificou seu karma. Ainda enxergará as coisas de forma distorcida, entende? Seus karmas continuarão a distorcer isso tudo, impedindo que você consiga mensurar realmente o que observa. Como no exemplo acima, ao ver a pessoa no inferno, você pode pensar que as práticas de nada serviram. Mas, futuramente, essas condições geradas por você irão produzir frutos. São como sementes. Quem sabe não é exatamente isso que gerará condições para esse ser no inferno morrer, e renascer humano? Quão maravilhoso seria isso. Todo ato virtuoso por menor que seja é válido. Jamais deixe de praticá-lo apenas porque não vê frutos. Jesus disse:
-"O plantio é facultativo, mas a colheita é obrigatória".
Algumas pessoas não entendem isso. Se a pessoa gerou causas em seus atos passados, ela terá que vivenciar as consequências deles. Não há como impedir, após as condições estarem presentes para consumação. Você pode ajudar de forma relativa sim, mas não absoluta, nesse caso. Isso é a justiça cósmica. Algumas pessoas sofrem, e vão em seitas ou igrejas falsas buscar ficar imunes a esses sofrimentos eventuais, e não percebem que isso é uma mentira. Se seu sofrimento sumir, não foi o culto em si, necessariamente, que ajudou. É preciso estudar as leis que você colocou em ação para poder afirmar isso. Na maioria das vezes, tenho observado, que nesses casos o que ocorre é que a energia que produzia os efeitos foi exaurida, ou que nessa ou em vidas anteriores, a pessoa criou alguma virtude capaz de cessar isso tudo, da mesma forma que criou a energia que produzisse isso tudo. Se ainda existirem causas criadas para esse sofrimento(karma) nas condições ideais para sua plenitude, pode ir onde quiser, rezar para quem quiser, nada mudará o fato pelo qual você passa.
Já comentei isso num artigo aqui do blog, para mais detalhes. Por isso é tão importante o treino para ajuda absoluta. Porque com o mestre certo e uma linhagem boa você pode purificar esse karma de fato. Ignore o "externo". Poderá inclusive ouvir:
-"Você faz isso, e aquilo e está cheio de condições ruins em seus caminhos".
Aquela pessoa é má, e possui isso, aquilo, etc. Isso é ignorância das leis que regem nosso universo. De qualquer forma, uma ajuda relativa, mesmo que temporária sempre é bem vinda. O que quero, é que pessoas sejam livres pensadoras, e descubram por si mesmas o que rege o universo, essas leis que promovem a justiça cósmica. Entender seus funcionamento.
Algumas práticas específicas aos mortos produzem excelentes efeitos. Tenho observado que oferendas de velas, lamparinas, flores, incenso, comida, etc. possuem enorme poder de ajudar os mortos. Principalmente quando as comidas são queimadas. Mas existe um probleminha. Pude observar que nos livros antigos de necromancia há várias passagens sobre a comida dos mortos. As tradições sempre giravam em torno de queimar esses aliementos. O que tenho observado é que em rituais específicos para isso, a pessoa falecida( falecida a um mês ou menos)só consegue se beneficiar deste alimento caso seja dedicado especificamente à ela. Se fizer mais de um mês da sua morte, isso é menos relevante, e pode ser feito de forma genérica, inclusive, em pratos dedicados para ela.
As velas são muito, muito eficazes. Muitos espíritos se beneficiam disso. Principalmente quando estão em trevas. Assombrados por seus próprios medos, e projeções. Ou mesmo sendo atormentados. Peça que a chama ilumine a consciência da pessoa. O incenso e as flores são muito bons, pois geram paz, e um ambiente muito aconchegante para quem morreu. Uma atmosfera mais positiva, e quando se está desprovido de um corpo, isso possui um poder que só quem passa por essa situação pode entender. Seus sentidos estão muito apurados nesse momento. Outras oferendas são positivas também. Mas especificamente para quem morreu, essas parecem mostrar resultados mais rápidos e eficazes, pela minha experiência.
Algumas pessoas podem perguntar:
-"E as pessoas treinadas em magia?"
A resposta é simples. Não precisam de qualquer tipo de prática para elas, não importa o modo como vieram a falecer. Elas aprenderam enquanto vivas a cuidarem de si mesmas. Treinaram e chegaram à constatação de tudo isso, e experimentaram por si mesmas. Mas por que então alguns praticantes fazem ritos para seus mestres? Bom, os ritos não são para o mestre em si se libertar. E sim, para as atividades de seu mestre. Um bom discípulo quer que seu mestre encontre um caminho livre de obstáculos, onde ele decidiu renascer. Para que possa dispor de tudo aquilo que precisa, para poder beneficiar o máximo de seres possíveis. Muitas vezes, é para saber onde o mestre renasceu. E que possa ser reconhecido assim que possível. Então, para um mestre, essas práticas são absolutamente relativas, pois não há qualquer tipo de necessidade, em termos absolutos. No momento da morte, Jesus iria ter um rito fúnebre completo, inclusive com prévia autorização pessoal dele, quando pediu que Maria Madalena guardasse o óleo para unção de seu corpo. Nenhum discípulo em sã consciência faria um rito para ele se libertar. Esse rito foi mais no sentido de receber a bênção do mestre, para que sua linhagem prosperasse, para saberem onde ele renasceria(pois renasceu uma vez mais na terra), e assim por diante.
Tenho observado diversas tradições, e com isso aprendi muito. Além do que, a necromancia tem muito material que permite esse acesso. Há culturas onde há essas oferendas aos ancestrais. Aqui, como faz muito tempo após a morte, ela pode ser menos formal. Veja um exemplo do Cheng Ming, feito na China:

Isto é extremamente benéfico, quando feito com compaixão. No México, há regiões onde a morte é festejada, e inclusive, utilizam esses meios citados nos livros de magia, antigos:

Acho muito bonito. Isso me leva à reflexão. Como eles descobriram isso? Teriam eles realmente entrado em contato com os falecidos e aprendido com eles, como os antigos iniciados fizeram? Eu acredito que seres iluminados nascem em diversas épocas e regiões, levando consigo uma tarefa de beneficiar o máximo de seres possíveis, e acabam deixando um pouco da luz nas regiões onde passam.

Vemos nas tradições muçulmanas isso se manifestar de forma perfeitamente eficaz:

Essa tradição inclusive merece mais créditos. Pois foi feita de forma bem planejada, e desinteressada, além de um grande número de pessoas que se preocuparam com outras, e em alguns casos, nem mesmo conheciam. No caso do memorial acima. Isso é um ato admirável, e só merece respeito. Pessoas dedicando seus tempos pessoais para tais metas. Só posso ficar feliz e rejubilar. Sem tirar o fato de que a doutrina católica em geral, shintoísmo, arte mahikari, etc. usam muito disso dentro de seus sistemas.
Nas religiões africanas, isso também é usado. É o culto dos ancestrais, que em Yorubá se chama Egungun:

Talvez existam algumas seitas ou religiões, que imersas na ignorância, discriminem. Isso só mostra quanto desconhecem de fato o mundo espiritual. E quanto mudarão de ideia quando eles se tornarem as pessoas que se beneficiarão disso. Eu tenho visto esses rituais e oferendas ocorrerem em absolutamente todas as tradições.

Isso mostra que Deus é um pai generoso, bondoso, e acima de tudo, amor. Tem ensinado todos os povos a trabalharem juntos, rumo a um mundo melhor. Não sei exatamente como essas práticas mágicas chegaram em tantos povos distintos, mas tenho minhas teorias. Além de minhas crenças. Escrevi esse texto baseado em minhas práticas pessoais, e experiências. Apenas espero que esse texto sirva de inspiração e incentivo para que todos possam se beneficiar dele. Tanto os que lêem, quanto aqueles que dele precisam.
Referência Bibliográfica:
-imguol.com/2012/03/29/mulheres-colocam-velas-e-flores-em-memorial-durante-vigilia-em-el-cajon-na-california-para-lembrar-a-morte-da-iraquiana-shaima-alawadi-por-espancamento-1332999285198_956x500.jpg
-cozinheiromexicano.files.wordpress.com/2012/02/ofrenda1.jpg
-http://www.revistaxire.com.br/web/?p=1387
Há ainda um tópico específico de Referência Bibliográfica, favor consultar!

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Pluralismo religioso!


Bom dia caros leitores do blog. Hoje estou aqui para descrever e apoiar uma grande causa. O pluralismo religioso. A maior prova de espiritualidade, a maior demonstração real de poder, se chama amor. Quando um ser ama outro de forma real, o respeita como é. Com suas ideias. Com suas características próprias. Assim, nasce a necessidade de diversos tipos de religiões, pois existem diversos tipos de seres no universo. Cada um necessitando de um meio. Cada um possuindo seu próprio caminho, ligado ao momento em que se encontra em sua espiritualidade. Ao momento cármico que pode compreender e entender. Qualquer caminho é bom, desde que o único objetivo seja amar o próximo, fazer caridades, fazer o bem, sem nada esperar, sem nada querer, sem ao menos esperar reconhecimento. Dar sua vida para o próximo, sem qualquer tipo de interesse. Deus é amor. Quem quer que ame, está com Deus. Aquele que não ama, está desprovido da graça divina. Pode acreditar, professar sua fé, dar testemunho, decorar bíblia, de nada servirá. Amar, é respeitar as escolhas que nossos irmãos fazem. Se, seu caminho quer converter forçadamente aquele que discorda de você, isso não é amor. É ódio. É aversão àquilo que contraria você. Talvez um certo medo, de que você possa estar errado, e seja decepcionado. Pense por um instante. Deus o vê fazendo escolhas, muitas vezes tolas. Mas nem por isso, desce dos céus e impede você. Por que? Porque o ama, e o ama tanto, a ponto de lhe dar algo que nem mesmo ele pode ir contra. O livre-arbítrio. Os ignorantes afirmam que Deus pode o impossível, e isso é mentira, porque Deus não pode ir contra o livre-arbítrio, uma qualidade presenteada por ele mesmo a todos. Até mesmo Deus respeita suas escolhas. Quem é você ou eu para podermos questionar isso? Conte a Deus sobre seus planos futuros, e ele dará risada. Mas nem por isso, impedirá você de fazer o que te convém. É por isso que quem está com Deus, age como Deus. Mas por outro lado, todos responderão pelos seus atos. Ser livre é também ser capaz de responder por nossos atos, tanto os atos por ação, quanto àqueles por omissão. Não confunda liberdade com libertinagem. Assim, podemos escolher tudo, e nisso temos o direito que nossos ancestrais lutaram e morreram para conquistar. Antigamente, no feudalismo, todos eram obrigados a fazer coisas. Não havia escolha. O senhor feudal mandava e assim era. Tudo era sua propriedade, inclusive as pessoas. No costume primae noctis o nobre poderia inclusive possuir uma plebeia, na noite de núpcias, pois era seu senhor e dono. A primeira noite deveria ser com seu senhor, não com seu marido. Através da história, uma luta foi travada. E por muitos anos, um Estado devagar começou a surgir disso tudo em diversos povos, que posteriormente viriam a redescobrir um conceito de democracia. Redescobrir, sim. Na antiga Grécia, já havia sim esse conceito, mas não era como hoje é encarado. De acordo com o site( http://www.ricocheting.com/node/20 ):

" A democracia contemporânea em geral considera o governo um corpo formado por representantes eleitos, e o "povo" (geralmente) como um conjunto de cidadãos próprios de uma nação, homens e mulheres, acima dos 18 anos, os atenienses consideravam o "governo" como sendo a assembleia (ekklesia) que tomava decisões diretamente (sem intermédio de representantes) e o "povo" (geralmente) como os homens atenienses alfabetizados maiores de 20 anos".
Hoje, de forma mais amadurecida, sabemos que a democracia é um governo feito de forma popular, de maneira que não haja distinções entre povos, etnias, ou particularidades, menos ainda por classes sociais. Apesar de ainda ser utopia essa ideia, ela é assim definida.


Prosseguindo. Ao longo do tempo, da história, a humanidade foi evoluindo, saindo da idade das trevas,ou seja, crescendo de forma espiritual sim, por que não? Uma coisa puxa a outra. Vejamos pois alguns exemplos que mostram esse movimento.
Código de Hamurabi: com aproximadamente 4.000 anos de idade, o velho documento de leis e punições. Um dos vários códigos deste período do Médio Oriente.
Neste código, podemos ver quão atrasada estava a humanidade, pois era inspirada praticamente pelo instinto brutal. Aqui, as grandes escolas de mistérios tinham que se esconder, porque com certeza absoluta seriam devastadas. Procuravam em geral lugares isolados, íngremes, insalubres, pois nunca seriam incomodados em sua preparação espiritual. Ver a história, nos ensina.
Cilindro de Ciro: Permitia liberdade de religião e abolia a escravatura no Império Persa/Irã (559-530 aC). Aqui podemos ver também como a influência foi surgindo, nas regiões da Pérsia.
Constitutição da Antiga Atenas: estabeleceu a Democracia Ateniense na Grécia (508 aC).
Carta Magna na Inglaterra (1215). Essa carta tem um importante papel histórico. Aqui o Rei João, que ficou conhecido como João sem terra, teve que abrir mão de seu poder absolutista. Não abriu mão completamente, claro, mas foi obrigado por circunstâncias adversas a pelo menos limitar esse poder, concedendo a outros parte desse poder. Isso, porque foi pressionado. Ele seria destronado caso não fizesse isso. Mas aqui começa a ideia de um parlamento, mesmo que de forma primitiva, pois os nobres não defendiam interesses da plebe.Surge o tão sonhado constitucionalismo. Mas ainda precário.
Declaração de Direitos de 1689 ou Bill of Rights of 1689 na Inglaterra (1689).
Declaração de Direitos de Virgínia nos Estados Unidos (1776).
Preâmbulo da Declaração da Independência dos Estados Unidos da América nos Estados Unidos (1776).
Carta de Direitos dos Estados Unidos nos Estados Unidos (1789).
Aqui já após inúmeros avanços, a sociedade mais madura ao longo da história, começa a finalmente ver uma luz. Começa a colocar em prática o ideal dos grandes mestres do passado, verdadeiros iluminados. Veja bem, Jesus falava de amor desde o começo, mas a era das trevas o domínio do ódio e aversão foi inquestionável. Levou quase dois mil anos, para que direitos básicos como respeito e educação fossem generalizados a todos. E hoje ainda há classes de pessoas desprovidas de educação, se não, completamente analfabetas. Quero deixar claro que a história sempre teve essa influência oculta. Mas não muda de uma hora para outra. Como você pode ver, pessoas espiritualizadas aos poucos influenciaram o pensamento de um povo, de uma nação, ao longo de séculos, para que aos poucos, os mais ignorantes, pudessem desfrutar de uma liberdade outrora tirada deles.
Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão na França (1789). Aqui realmente há a concretização dos Direitos do Homem.É algo incrível. Veja a imagem:

De tão importante, passo a transcrever literalmente:
"Art.1.º Os homens nascem e são livres e iguais em direitos. As destinações sociais só podem fundamentar-se na utilidade comum.
Art. 2.º A finalidade de toda associação política é a conservação dos direitos naturais e imprescritíveis do homem. Esses direitos são a liberdade, a propriedade, a segurança e a resistência à opressão.
Art. 3.º O princípio de toda a soberania reside, essencialmente, na nação. Nenhum corpo, nenhum indivíduo pode exercer autoridade que dela não emane expressamente.
Art. 4.º A liberdade consiste em poder fazer tudo que não prejudique o próximo: assim, o exercício dos direitos naturais de cada homem não tem por limites senão aqueles que asseguram aos outros membros da sociedade o gozo dos mesmos direitos. Estes limites apenas podem ser determinados pela lei.
Art. 5.º A lei não proíbe senão as ações nocivas à sociedade. Tudo que não é vedado pela lei não pode ser obstado e ninguém pode ser constrangido a fazer o que ela não ordene.
Art. 6.º A lei é a expressão da vontade geral. Todos os cidadãos têm o direito de concorrer, pessoalmente ou através de mandatários, para a sua formação. Ela deve ser a mesma para todos, seja para proteger, seja para punir. Todos os cidadãos são iguais a seus olhos e igualmente admissíveis a todas as dignidades, lugares e empregos públicos, segundo a sua capacidade e sem outra distinção que não seja a das suas virtudes e dos seus talentos.
Art. 7.º Ninguém pode ser acusado, preso ou detido senão nos casos determinados pela lei e de acordo com as formas por esta prescritas. Os que solicitam, expedem, executam ou mandam executar ordens arbitrárias devem ser punidos; mas qualquer cidadão convocado ou detido em virtude da lei deve obedecer imediatamente, caso contrário torna-se culpado de resistência.
Art. 8.º A lei apenas deve estabelecer penas estrita e evidentemente necessárias e ninguém pode ser punido senão por força de uma lei estabelecida e promulgada antes do delito e legalmente aplicada.
Art. 9.º Todo acusado é considerado inocente até ser declarado culpado e, se julgar indispensável prendê-lo, todo o rigor desnecessário à guarda da sua pessoa deverá ser severamente reprimido pela lei.
Art. 10.º Ninguém pode ser molestado por suas opiniões , incluindo opiniões religiosas, desde que sua manifestação não perturbe a ordem pública estabelecida pela lei.
Art. 11.º A livre comunicação das ideias e das opiniões é um dos mais preciosos direitos do homem; todo cidadão pode, portanto, falar, escrever, imprimir livremente, respondendo, todavia, pelos abusos desta liberdade nos termos previstos na lei.
Art. 12.º A garantia dos direitos do homem e do cidadão necessita de uma força pública; esta força é, pois, instituída para fruição por todos, e não para utilidade particular daqueles a quem é confiada.
Art. 13.º Para a manutenção da força pública e para as despesas de administração é indispensável uma contribuição comum que deve ser dividida entre os cidadãos de acordo com suas possibilidades.
Art. 14.º Todos os cidadãos têm direito de verificar, por si ou pelos seus representantes, da necessidade da contribuição pública, de consenti-la livremente, de observar o seu emprego e de lhe fixar a repartição, a colecta, a cobrança e a duração.
Art. 15.º A sociedade tem o direito de pedir contas a todo agente público pela sua administração.
Art. 16.º A sociedade em que não esteja assegurada a garantia dos direitos nem estabelecida a separação dos poderes não tem Constituição.
Art. 17.º Como a propriedade é um direito inviolável e sagrado, ninguém dela pode ser privado, a não ser quando a necessidade pública legalmente comprovada o exigir e sob condição de justa e prévia indenização."
Aqui os regimes absolutistas da Europa caem, finalmente após eras de exploração e trevas. A sociedade finalmente pode experimentar um pouco da grande sonhada liberdade, esse movimento, de tão importante, iria inspirar toda uma geração, inclusive o Brasil. Surge o Estado de Direito. Meus amigos, isso até me emociona. Muitos morreram. Foram queimados, e não foi em vão. De pouco em pouco, a sociedade caminhou para isso. Aqui, finalmente, começamos a enxergar nosso próximo. A pensar, que eu posso estar bem, mas meu próximo não, e é minha obrigação também lutar pelos interesses dele.
Capítulo 2 da Constituição da Finlândia na Finlândia (1919).
Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948).
Convenção Européia dos Direitos Humanos (1950).
Carta Canadense dos Direitos e das Liberdades no Canadá (1982).
Artigo Quinto da Constituição brasileira de 1988 no Brasil (1988).
Ato de Direitos Humanos no Reino Unido (1998).
A embaixada americana define muito bem o que é um Estado de Direito. Melhor do que eu poderia: Vejamos:
"Durante grande parte da história da humanidade, governante e lei foram sinônimos — a lei era simplesmente a vontade do governante. Um primeiro passo para se afastar dessa tirania foi o conceito de governar segundo a lei, incluindo a ideia de que até o governante está abaixo da lei e deve governar através dos meios legais. As democracias foram mais longe criando o Estado de Direito. Embora nenhuma sociedade ou sistema de governo esteja livre de problemas, o Estado de Direito protege os direitos fundamentais, políticos, sociais e econômicos e nos lembra que a tirania e a ilegalidade não são as únicas alternativas.





  • Estado de Direito significa que nenhum indivíduo, presidente ou cidadão comum, está acima da lei. Os governos democráticos exercem a autoridade por meio da lei e estão eles próprios sujeitos aos constrangimentos impostos pela lei.
  • As leis devem expressar a vontade do povo, não os caprichos de reis, ditadores, militares, líderes religiosos ou partidos políticos auto-nomeados.
  • Os cidadãos nas democracias estão dispostos a obedecer às leis da sua sociedade, então, porque estas são as suas próprias regras e regulamentos. A justiça é melhor alcançada quando as leis são criadas pelas próprias pessoas que devem obedecê-las.
  • No Estado de Direito, um sistema de tribunais fortes e independentes deve ter o poder e a autoridade, os recursos e o prestígio para responsabilizar membros do governo e altos funcionários perante as leis e os regulamentos da nação.
  • Por esta razão, os juízes devem ter uma formação sólida, ser profissionais, independentes e imparciais. Para cumprirem o papel necessário no sistema legal e no político, os juízes devem estar empenhados nos princípios da democracia.
  • As leis da democracia podem ter muitas origens: constituições escritas; estatutos e regulamentos; ensinamentos religiosos e étnicos e tradições e práticas culturais. Independentemente da origem, a lei deve preservar certas cláusulas para proteger os direitos e liberdades dos cidadãos:

    • No âmbito do requisito de proteção igual pela lei, a lei não pode ser aplicável unicamente a um indivíduo ou grupo.
    • Os cidadãos devem estar protegidos da prisão arbitrária, da busca sem razão em suas casas ou da apreensão de seus bens pessoais.
    • Os cidadãos acusados de crime têm direito a um julgamento rápido e público, bem como à oportunidade de confrontar e questionar seus acusadores. Se forem condenados, não podem ser sujeitos a castigo cruel ou excepcional.
    • Os cidadãos não podem ser forçados a testemunhar contra si mesmos. Este princípio protege os cidadãos da coerção, do abuso ou da tortura e reduz enormemente a tentação da polícia de empregar tais medidas. "




    O Landsgemeinde, é uma velha forma de democracia direta sendo ainda praticado em dois cantões suíços.


    Protesto reivindicando o sufrágio universal em Estocolmo, Suécia. Atualmente, uma das características geralmente relacionadas ao conceito de democracia é o reconhecimento do voto universal de ambos os gêneros.
    Sendo assim, acredito que foi muito óbvio o quão a modernidade trouxe luz. E isso era profetizado, pois nossa era é um ensaio para Era de Aquário. Todos nós iniciados, e os grandes e maiores líderes deram suas vidas para que isso ocorresse. Jesus, por exemplo, trouxe uma doutrina maravilhosa, mas como falava de amor, numa era onde batalhas ocorriam, disputas e ódio, esse caminho não pôde ser vivenciado em toda sua plenitude. Uso ele como exemplo, mas há muitos outros, de igual importância. Seres cada vez mais iluminados estão nascendo entre nós, mas ainda há aqui, nosso irmãos que são cobertos pelas sombras. Por exemplo, infelizmente ainda hoje podemos achar por aí movimentos religiosos que dizem seguir Jesus, que promovem distinções entre homens, mulheres, crianças, e inclusive, barbarizam outras escolas religiosas tão importantes para a humanidade, pois acreditam serem possuidores de um poder divino autoproclamado. Se assim o fosse, eles seriam a maior prova de que realmente Deus está com eles. Professam uma fé onde afirmam que qualquer um que discorde deles, será queimado no fogo dos infernos. Condenam a liberdade de culto de outras pessoas, por exemplo, irmãos de religiões africanas, que são discriminados. Quanta ignorância possuem. Ainda bem, que hoje na era da tecnologia isso está diminuindo. O acesso à internet tem promovido grandes conhecimentos, impedindo que seres inocentes sejam explorados. Quem quer que afirme que ter fé basta, que a igreja ou fé que professam produz milagres, possuem autoridade, tomam sobre si uma autoridade sobre o mal, acabam com problemas financeiros,etc, mas não possuem amor, NÃO SÃO VERDADEIROS CRISTÃOS. A ÚNICA PROVA DE QUE UMA PESSOA REALMENTE ESTÁ EM CRISTO É AMOR PURO, VERDADEIRO, INCONDICIONAL, DESINTERESSEIRO. O pluralismo religioso possui isso. Portanto, você que sofre, busca se libertar do sofrimento, e busca a Deus, busque amor. Colocarei um pequeno texto aqui que por ser tão completo não exige maiores detalhes. É perfeito. Não admite dúbia interpretação. Não busque Deus em igrejas, não busque Deus na fé, em milagres, nem nada disso. Busque Deus no amor. Se você ama, você faz a mais poderosa de todas as orações. E incontestavelmente está com Deus e ele com você. Jamais duvide disso. E aqui digo e afirmo, não importa o credo, a fé, a religião, ou qualquer outra coisa, nem mesmo o nome de Deus que você professa, o mestre de que mais gosta. Importa que você ame seu próximo. Importa apenas que você, doe-se, respeite-o, deixe-o livre, ajude-o, mesmo que ele não saiba. Amar outros povos diferentes, outras religiões é uma prova de Deus. A fé produz milagres, a fé cura. De fato. Mas a fé é apenas um poder que dispomos para superar dificuldades,e só serve para isso. Não é importante no que você acredita, nem mesmo é importante o nome de Deus que você acredita. Mas para nos tornamos unos com Deus, para vivermos Deus, para realmente você poder se libertar, APENAS AME. Se não acredita em mim, acredita nisso:
    "
    I Coríntios, 13
    1. Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.
    2. Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver amor, não sou nada.(por favor meu irmão, memorize isso. Não importa quão grande sofrimento você possa estar passando, a fé pode te curar o corpo, o amor vai curar sua alma).
    3. Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver amor, de nada valeria!
    4. O AMOR é paciente, O AMOR é bondoso. Não tem inveja. O AMOR não é orgulhoso. Não é arrogante.
    5. Nem escandaloso. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor.
    6. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade.
    7. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
    8. O AMOR jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará.
    9. A nossa ciência é parcial, a nossa profecia é imperfeita.
    10. Quando chegar o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá.
    11. Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Desde que me tornei homem, eliminei as coisas de criança.
    12. Hoje vemos como por um espelho, confusamente; mas então veremos face a face. Hoje conheço em parte; mas então conhecerei totalmente, como eu sou conhecido.
    13. Por ora subsistem a fé, a esperança e O AMOR - os três. Porém, o maior deles é O AMOR."
    Simples assim. Curto e grosso. Não é possível discutir sobre isso. Não é dúbio. Não possui contradição. Qualquer coisa que você faça, apenas o amor salvará você. DEUS É AMOR. Quem quer que ande com DEUS, é igualmente AMOR. Se Jesus condenasse ao inferno aquele que o negasse, com certeza absoluta teria condenado também a pessoa que não só o negou, como o matou, porém vemos exatamente o contrário. Ele não só perdoou aquele que o negou e matou pregando na cruz, como também rezou por ele com o mesmo amor e com a mesma dedicação que destina àqueles que o invocam. Ele não distingue homens. Os homens ignorantes fazem isso, e dizem ser obra de Jesus. Jesus andava no meio de bandidos, prostitutas, e outros tipos, "porque os sãos não precisam de médicos." Essa é a maior prova do amor incondicional que ele tem.


    Ao longo da história podemos ver pessoas que realmente foram abençoadas com a Graça de Deus, e qualquer um poderia seguir seus exemplos, estando seguro de que está no caminho certo. Por exemplo, você conhece o rosto abaixo?
    Era Judia. Seu nome era Irene Sendler. Conhecida como o "Anjo do Gueto de Varsóvia". Foi uma ativista dos direitos humanos durante a Segunda Guerra Mundial, tendo contribuído para salvar mais de 2.500 vidas ao levar alimentos, roupas e medicamentos às pessoas barricadas no gueto, com risco da própria vida.Ela disse:
    "A razão pela qual resgatei as crianças tem origem no meu lar, na minha infância. Fui educada na crença de que uma pessoa necessitada deve ser ajudada com o coração, sem importar a sua religião ou nacionalidade."
    Ela ajudava de forma completamente desinteressada, correndo risco de morte. Isso sim é ter espiritualidade. Não perguntava o credo que a pessoa tinha, nem mesmo a raça. Nada. Simplesmente ia lá e ajudava. Nem mesmo esperou ser reconhecida. Isso é a maior prova de que tinha Deus no coração. Acredite, tem um monte de líderes religiosos por aí invocando esse nome, aquele outro, e em seu coração, nada. Observe as atitudes de quem você espera saber algo. Se ele age com amor, possui bondade, está bem. Detalhe, ela nunca pediu que as pessoas salvas se convertessem à sua fé.
    Há outros fenômenos no mundo. Por exemplo, este genuinamente brasileiro.Seu nome é Francisco Cândido Xavier. Conhecido por Chico Xavier. Desde criança demonstrava profundamente seus sinais de que era realmente realizado espiritualmente. Sofria demais, com sua tia, e mesmo assim, soube ser um grande homem. Um exemplo maravilhoso para nossos dias. Em seu centro espírita Chico Xavier deixava dois tipos de coisa. Um envelope com dinheiro e outro com comida. Se você precisasse de dinheiro, pegava. Se estivesse com fome, comia. Não perguntava credo, religião, raça, profissão. Repare o detalhe. Ele dava dinheiro, ao invés de pedir. Isso nos dias de hoje é algo muito relevante. Ganhou mais de 30 milhões de Reais com as vendas dos livros que escreveu. Destinou absolutamente tudo aos hospitais, aos pobres e necessitados, nunca usou de nenhuma vantagem desse dinheiro. Viveu com o salário que ganhava como funcionário público, escrivão, que era na época pouco. Sempre teve humildade no modo de vestir-se, portar-se e viver. Imitou com perfeição os exemplos dos grandes mestres do passado, como Jesus. O mais engraçado é ouvir alguns religiosos criticando um homem desse, mas se quer doa parte de seu dinheiro aos pobres, sem se importar com o credo deles, ou sobre raça, etc. Melhor ainda, pergunto ao caro leitor quantos que aqui doariam mais de 30 milhões de reais aos necessitados sem ficar com absolutamente nada?! Se isso não é sinal de pureza, de bondade, de amor, a humanidade perdeu completamente o senso de amar e ser amado. A maioria das pessoas do mundo moderno buscam dinheiro, sucesso, prosperidade nas igrejas. A coisa mais paradoxal que existe, é que na idade média se dizia que essas funções cabiam ao diabo, e era com essas propostas que ele tentava o homem. Hoje, ter dinheiro, carro de luxo, roupas caras, esnobar o próximo são as propostas "santas". Repense caro leitor. Repense....repense mesmo em suas crenças e conceitos.Se isso fosse tão necessário, Jesus teria nascido rico, milionário, filho de um rei, para poder cumprir sua missão. Talvez ele queira ensinar algo quando nasceu humilde e pobre.Se você o chamar de mestre, pelo menos o imite. Porque o Jesus que conheço dizia:
    "Vai doa tudo aquilo que tu tens aos pobres e me segue". Você pode estar se portando como o rico que preferiu ficar com seus bens e poder, do que seguir o Cristo. Isso me faz lembrar de outro exemplo, talvez o maior que a humanidade ocidental tenha tido até hoje.

    Seu nome era Giovanni di Pietro di Bernardone, mais conhecido como São Francisco de Assis (Assis, 5 de julho de 1182 [1] — 3 de outubro de 1226), foi um frade católico da Itália. Depois de uma juventude irrequieta e mundana, nobre,voltou-se para uma vida religiosa de completa pobreza, fundando a ordem mendicante dos Frades Menores, mais conhecidos como Franciscanos, que renovaram o Catolicismo de seu tempo.Na humildade ensinava o próximo pelo próprio exemplo. Quantos leitores aqui, nasceriam nobres, e dariam tudo para serem mendigos? Eu novamente digo: quem quer que tenha Deus no coração, não sente necessidade de mais nada. Se estás insatisfeito, pense. Pense nessas palavras:
    "Os frades a quem o Senhor deu a graça de trabalhar, trabalhem fiel e devotamente, de modo que, afastando o ócio inimigo da alma, não extingam o espírito da santa oração e devoção, ao qual as outras coisas temporais devem servir. Como mercê do trabalho recebam para si e seus irmãos o necessário para o corpo, menos dinheiro ou pecúnia, e isso humildemente, como convém a servos de Deus e seguidores da santíssima pobreza!"
    Reparem nas vestes que usava, um verdadeiro contraste com vestes luxuosas de religiosos que criticam o pluralismo religioso ou liberdade individual:
    Se ainda há dúvidas sobre como devemos proceder respeitando outras religiões,credos e sendo tolerantes, eis as palavras do mestre:
    "Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz!
    Onde houver Ódio, que eu leve o Amor.
    Onde houver Ofensa, que eu leve o Perdão.
    Onde houver Discórdia, que eu leve a União.
    Onde houver Dúvida, que eu leve a Fé.
    Onde houver Erro, que eu leve a Verdade.
    Onde houver Desespero, que eu leve a Esperança.
    Onde houver Tristeza, que eu leve a Alegria.
    Onde houver Trevas, que eu leve a Luz!
    Ó Mestre,
    Fazei que eu procure mais:
    consolar, que ser consolado;
    compreender, que ser compreendido;
    amar, que ser amado.
    Pois é dando, que se recebe;
    Perdoando, que se é perdoado e
    é morrendo, que se vive para a vida eterna".
    É bem diferente do que os ditadores fazem,certo? Veja o paradigma dos absolutistas e ditadores egoístas:
    "Me dê dinheiro, salve meu trabalho, me dê saúde, me console, porque o vizinho tem tudo e eu que te adoro não tenho nada".Percebe a diferença?
    Há outros exemplos de pessoas que amaram. Simples assim. Amaram. Doaram. Viveram aquilo que outros apenas sabem, por exemplo, Madre Teresa de Calcutá.

    Ou o Grande Dalai Lama:
    Essas pessoas não possuem a mesma linha religiosa, mas com certeza absoluta estão todas sob influência do amor. NISSO SÃO IGUAIS. Se você seguir o exemplo de qualquer uma delas, então meu amigo, eu lhes garanto, tudo estará bem. Não permitamos que seitas, credos ou grupos destruam aquilo que levamos anos para conseguir. Se você admira um mundo livre, é porque sabe o valor que isso tem. Se reparou bem, levamos anos buscando um mundo onde todos possam existir e se expressar. Lutemos meus irmãos, por um mundo igualitário, onde todos possuem o mesmo valor, independente da raça, partido político, credo, religião, doutrina, ou comportamento. Amemos nossos irmãos como amamos a nós mesmos. Amemos as diferenças. Aprendamos a respeitar e tolerar com amor a liberdade. Não retrocedamos na história. Não percamos nossa democracia. O único mal que não pode ser tolerado são grupos racistas, e aqueles fanáticos de qualquer espécie. Não podem ser apreciados grupos de pessoas que acreditam que o mundo deva se curvar à sua religiosidade. Absolutistas. Ditadores. Esse blog vem para isso. Mostrar uma forma diferente de viver. Onde o amor prevalece. Se você se sentiu ofendido com essas palavras,ou sentiu que ofendem suas crenças, é porque provavelmente faz parte de um grupo de pessoas egoístas. Eu prego o amor. Eu sirvo ao amor. E como todo bom egoísta, somente aquilo que faz bem a você (somente) pode ser considerado útil. Mesmo à custa da felicidade alheia. Você pode estar até pensando:
    "Espere um minuto. Você falou sobre tolerância, mas parece não gostar de seitas que condenam outros credos, citadas acima".
    Minha humilde reposta é sim. Seria como gostar de reis absolutistas ou ditadores, seria como gostar da autocracia, despotismo e tirania. Seria voltar à era das trevas, onde se queimavam os infiéis. A história está aí, vamos evoluir, crescer. Veja o exemplo de Hitler. A primeira coisa que fez é:
    "Queimem os livros".
    "Queimem aqueles que nos contestam"!
    A frase é a mesma. Só que na religião, se justifica assim:
    "Queimará no inferno"!
    Bom, de todos os jeitos e formas é queimar. Parecem que fizeram a mesma escola, aprenderam a mesma disciplina. Quando você concorda com essas seitas, indiretamente suja as mãos com o sangue de pessoas como Galileu Galilei, que morreu por questionar o centro do sistema solar.
    Tornemos as pessoas ignorantes, alienadas, eles dizem. Assim, jamais pensarão por si mesmas. É isso o que querem. Se for inquestionável, então será manipulável. Já pensou, por exemplo, se alguns começarem a cogitar reencarnação? Começarão a ir em busca de respostas,e as encontrarão, óbvio.
    Dedico este texto à todas as pessoas que sofrem intolerância religiosa onde quer que estejam. Que sofrem preconceitos, discriminação, que são violadas, mesmo que moralmente, porque simplesmente, são únicas. A todas vocês dedico este texto. Resistam. Ergam-se. Não desistam! Galileu estava certo, afinal de contas.
    -http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Demonstration_f%C3%B6r_allm%C3%A4n_r%C3%B6str%C3%A4tt_1917.jpg

    -Geoff Eley. Forging Democracy: The History of the Left in Europe (em inglês).
    -Josiah Ober. The Original Meaning of “Democracy”: Capacity to Do Things, not Majority Rule (em inglês).
    -a b c BENEVIDES, Maria Victoria de Mesquita. 'A cidadania Activa – Referendo, Plebiscito e iniciativa popular' . São Paulo. Ed. Ática, 1991, p.128.
    -WOLF LINDER, SCHWEIZERISCHE DEMOKRATIE: INSTITUTIONEN, PROZESSE, PERSPEKTIVEN 256-64 (2nd edition, 2005)
    -BOBBIO, Norberto. 'Estado, governo, sociedade'. São Paulo : Paz e Terra, 1987, p. 459.
    -BONAVIDES, Paulo. 'Ciência política.' 10. ed. São Paulo : Malheiros, 2003, p. 275.
    -http://3.bp.blogspot.com/-RSodLf_oNgc/Tor6PQZF6uI/AAAAAAAADbg/A9yfp8-mhu0/s1600/sa%25C3%25B5afran.jpg